Momento Mariano – Semana Missionária

Maria, mulher de fé, foi plenamente evangelizada, é a mais perfeita discípula e evangelizadora (cf. Jo 2, 1-12).

Durante esta semana está acontecendo a Semana Missionária, e nesta segunda-feira (21) além dos encontros nas famílias dos setores missionários, aconteceu também a visita da imagem de Nossa Senhora a capela de Nossa Senhora da Conceição, onde o Diácono Cícero celebrou com as comunidades Distrito de Manoel Domingos e Assentamento José Milanês

e capela de Santo Antônio, onde o Diácono Edival celebrou com as Comunidades São Francisco, Assentamento Santana, Sitio de Dentro e Assentamento São Pedro.

Os diáconos celebraram a palavra, refletindo sobre o papel de Maria como primeira discípula e missionária. Ao final realizaram a consagração e rezaram por todos os missionários.

Nesta terça-feria a imagem de Nossa Senhora visita a capela de Santa Rita de Cássia.

Deus abençoe os missionários presentes em todas as comunidades paroquiais.

SEMANA MISSIONÁRIA PAROQUIAL

BATIZADOS E ENVIADOS A IGREJA DE CRISTO EM MISSÃO NO MUNDO

AGENDA DA SEMANA

Dia 20 – Domingo Abertura da Semana Missionária

19h ­Missa com a bênção do envio dos missionários, na matriz e nas comunidades onde tiver celebrações.

Nos dias 21,22, 23, 25 e 26 – acontecem os encontros nas famílias dos setores missionários e comunidades rurais.

Dia 21 – Segunda-feira

19h – Visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida com celebração no Sítio São Francisco juntamente com as comunidades – P.A Santana/Sítio de Dentro e P.A São Pedro

19h – Visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida com celebração no Distrito Manoel Domingos capela de N.Srª. da Conceição  juntamente com o P.A José Milanês

Dia 22 – Terça-feira

17h – Caminhada jovem pelas ruas da cidade com motivações sobre a semana missionária

Saída do Posto Santo Antônio até o Bairro Jesus Menino

19h – Visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida com celebração da Coroa de Santa Rita No Sítio Santa Rita juntamente com as comunidades Baixa Verde/Massangana/Filgueira/Sítio Ceará e Canta Galo.

Dia 23 – Quarta-feira

17h – Missa na capela de Santa Luzia – Macambira

19h – Missa com visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida no Sítio do Meio capela de Santo Expedito.

19h – Visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida com celebração na capela de Nossa Senhora das Graças juntamente com as comunidades Macambira/ Ludugeros e cabeço dos Ferreiras.

Dia 24 – Quinta-feira – Hora Santa na matriz e em todas as capelas onde há o sacrário

16h – Hora Santa – Capela São Raimundo Nonato Clavinote

18h – Hora da graça com bênção do Santíssimo e Missa na matriz

19h – Hora Santa – Capela de Santa Luzia Sítio Umarizeiro

19h – Hora Santa – Capela de Nossa Senhora das Graças P.A José Milanês

19h – Hora Santa – Capela de Nossa Senhora da Conceição Distrito

19h – Hora Santa – Capela Santana P.A Santana

19h – Hora Santa – Capela de São Sebastião Sítio Buraco da Lagoa

Dia 25 – Sexta-feira

5h – Caminhada penitencial saindo da casa paroquial até o Cruzeiro da Baraúna onde haverá a missa e café partilhado.

16h30 – Missa na capela de Santana

19h – Missa com visita da imagem de Nossa Aparecida no P.A Serrano juntamente com as comunidades Serra do Meio, Ponta de Linha e Baixa Grande.

Dia 26 – Sábado

16h – Missa com visita da imagem de Nossa Aparecida na capela da Sagrada Família Sítio Umarizeiro juntamente com as famílias da capela Santa Luzia

19h – Missa com visita da imagem de Nossa Aparecida capela de São Sebastião Sítio Buraco da Lagoa.

Dia 27 – Domingo – 6ª ROMARIA DAS COMUNIDADES “CELEBRANDO O MÊS MISSIONÁRIO EXTRAORDINÁRIO”

16h – Concentração na capela de Nossa Senhora das Graças – Sítio Macambira

Romaria até a capela de Nossa Senhora Aparecida – Comunidade Ludugeros

Missa em ação de graças

Papa: a oração é condição indispensável para a missão do cristão

“Que todo batizado tome uma viva consciência da necessidade de cooperar no anúncio do Reino de Deus por meio de um compromisso renovado”

Papa Francisco dedicou sua mensagem do Ângelus deste domingo (20) ao compromisso do cristão em anunciar a Palavra de Deus.

Por ocasião especial do Dia Mundial das Missões, que recorda milhares de missionários atuando no mundo, o Pontífice exortou “que todo batizado tome uma viva consciência da necessidade de cooperar no anúncio do Reino de Deus por meio de um compromisso renovado”.

Essa responsabilidade missionária de toda a Igreja foi enfatizada inclusive 100 anos atrás, lembrou Francisco, com a Carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV. O documento tinha o objetivo de “requalificar evangelicamente a missão no mundo”.

“No contexto transformado de hoje, a mensagem de Bento XV é ainda atual e nos estimula a superar a tentação de qualquer fechamento autorreferencial e de toda forma de pessimismo pastoral para nos abrirmos à alegre novidade do Evangelho. Em nosso tempo, marcado por uma globalização que deveria ser solidária e respeitosa com a particularidade dos povos e que, ao invés disso, sofre ainda da homologação e dos velhos conflitos de poder que alimentam guerras e arruínam o planeta, nesse tempo que é assim, os crentes são chamados a levar a todos os lugares, com novo ímpeto, a boa nova de que em Jesus a misericórdia vence o pecado, a esperança vence o medo, a fraternidade vence a hostilidade. Cristo é a nossa paz e n’Ele toda divisão é superada, n’Ele só tem a salvação de todo homem e de todo povo.”

O Papa continuou encorajando os missionários do Evangelho e finalizou:

“Para viver em plenitude a missão, há uma condição indispensável: a oração, uma oração fervorosa e incessante, segundo o ensinamento de Jesus proclamado também no Evangelho de hoje, em que ele conta uma parábola «sobre a necessidade de rezar sempre, sem nunca se cansar” (Lc 18: 1). Hoje também é uma boa oportunidade para nos perguntar: eu rezo para os missionários? Rezo por aqueles que vão para longe levar a Palavra de Deus com o testemunho? Vamos pensar.”

FONTE: (Vatican News)

Inscrições abertas para Simpósio Ecumênico 2020

Estão abertas as inscrições para o Simpósio Ecumênico 2020 que a Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promove 31 de janeiro a 2 de fevereiro do próximo ano, no Centro de Convivência Mãe do Bom Conselho, em Jundiaí (SP). O tema desta edição é: “Violência em nome de Deus? Em tempos de ódio, injustiça e indiferença, educar para a paz”.

“Um dos aspectos peculiares da maioria dos conflitos contemporâneos é a aparente, e por vezes, drástica associação entre violência e religião. Em várias religiões do mundo, a religião é usada e manipulada incorretamente para justificar conflitos, agressões e assassinatos deliberados a seres humanos”, diz trecho do documento “Educação para a Paz em um mundo multi-religioso: uma perspectiva cristã”, do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, usado no material de divulgação.

Para o bispo de Cornélio Procópio (PA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da CNBB, as religiões têm o papel de promover a paz.

O Simpósio Ecumênico terá como conferencistas o Pastor Rudolf Von Sinner, pastor da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, professor de Teologia Sistemática e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Teologia da PUC Paraná e o professor Luiz José Dietrich, professor da PUC Paraná e assessor nacional do Centro de Estudos Bíblicos (Cebi).

Confira mais detalhes sobre a atividade aqui:

Fonte: cnbb.org.br

MOVIMENTO DAS MÃES QUE ORAM PELOS FILHOS PARTICIPA DO 1º ENCONTRO DIOCESANO DO GRUPO

No último sábado dia 19 de outubro a nossa Paróquia esteve representada no município de de Equador para participar do 1º Encontro Diocesano do Movimento Mães que oram pelos filhos.

Para os organizadores do evento "foram momentos de verdadeiras bênçãos, graças, orações, partilhas, aprendizados e muita emoção tomou todos os participantes daquele momento especial".

De nossa paróquia foram 46 mães que nos relataram a alegria de ter participado de um momento tão reflexivo e de aprofundamento sobre o verdadeiro sentido de grupo que é a busca de oração por seus filhos.

O grupo se reúne às quartas-feiras a partir das 19h para orarem em nossa Matriz. Participe!!!

FONTE: Fabiana Dantas (Coordenadora do Movimento Lagoa Nova) e Paróquia de São Sebastião - Equador

MENSAGEM DE SUA SANTIDADE O PAPA FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DAS MISSÕES DE 2019

[20 de outubro de 2019]

Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo

Queridos irmãos e irmãs!

Pedi a toda a Igreja que vivesse um tempo extraordinário de missionariedade no mês de outubro de 2019, para comemorar o centenário da promulgação da Carta apostólica Maximum illud, do Papa Bento XV (30 de novembro de 1919). A clarividência profética da sua proposta apostólica confirmou-me como é importante, ainda hoje, renovar o compromisso missionário da Igreja, potenciar evangelicamente a sua missão de anunciar e levar ao mundo a salvação de Jesus Cristo, morto e ressuscitado.

O título desta mensagem – «batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo» – é o mesmo do Outubro Missionário. A celebração deste mês ajudar-nos-á, em primeiro lugar, a reencontrar o sentido missionário da nossa adesão de fé a Jesus Cristo, fé recebida como dom gratuito no Batismo. O ato, pelo qual somos feitos filhos de Deus, sempre é eclesial, nunca individual: da comunhão com Deus, Pai e Filho e Espírito Santo, nasce uma vida nova partilhada com muitos outros irmãos e irmãs. E esta vida divina não é um produto para vender – não fazemos proselitismo –, mas uma riqueza para dar, comunicar, anunciar: eis o sentido da missão. Recebemos gratuitamente este dom, e gratuitamente o partilhamos (cf. Mt 10, 8), sem excluir ninguém. Deus quer que todos os homens sejam salvos, chegando ao conhecimento da verdade e à experiência da sua misericórdia por meio da Igreja, sacramento universal da salvação (cf. 1 Tm 2, 4; 3, 15; Conc. Ecum. Vat. II, Const. dogm. Lumen gentium, 48).

A Igreja está em missão no mundo: a fé em Jesus Cristo dá-nos a justa dimensão de todas as coisas, fazendo-nos ver o mundo com os olhos e o coração de Deus; a esperança abre-nos aos horizontes eternos da vida divina, de que verdadeiramente participamos; a caridade, que antegozamos nos sacramentos e no amor fraterno, impele-nos até aos confins da terra (cf. Miq 5, 3; Mt 28, 19; At 1, 8; Rm 10, 18). Uma Igreja em saída até aos extremos confins requer constante e permanente conversão missionária. Quantos santos, quantas mulheres e homens de fé nos dão testemunho, mostrando como possível e praticável esta abertura ilimitada, esta saída misericordiosa ditada pelo impulso urgente do amor e da sua lógica intrínseca de dom, sacrifício e gratuidade (cf. 2 Cor 5, 14-21)!

Sê homem de Deus, que anuncia Deus (cf. Carta ap. Maximum illud): este mandato toca-nos de perto. Eu sou sempre uma missão; tu és sempre uma missão; cada batizada e batizado é uma missão. Quem ama, põe-se em movimento, sente-se impelido para fora de si mesmo: é atraído e atrai; dá-se ao outro e tece relações que geram vida. Para o amor de Deus, ninguém é inútil nem insignificante. Cada um de nós é uma missão no mundo, porque fruto do amor de Deus. Ainda que meu pai e minha mãe traíssem o amor com a mentira, o ódio e a infidelidade, Deus nunca Se subtrai ao dom da vida e, desde sempre, deu como destino a cada um dos seus filhos a própria vida divina e eterna (cf. Ef 1, 3-6).

Esta vida é-nos comunicada no Batismo, que nos dá a fé em Jesus Cristo, vencedor do pecado e da morte, regenera à imagem e semelhança de Deus e insere no Corpo de Cristo, que é a Igreja. Por conseguinte, neste sentido, o Batismo é verdadeiramente necessário para a salvação, pois garante-nos que somos filhos e filhas, sempre e em toda parte: jamais seremos órfãos, estrangeiros ou escravos na casa do Pai. Aquilo que, no cristão, é realidade sacramental – com a sua plenitude na Eucaristia –, permanece vocação e destino para todo o homem e mulher à espera de conversão e salvação. Com efeito, o Batismo é promessa realizada do dom divino, que torna o ser humano filho no Filho. Somos filhos dos nossos pais naturais, mas, no Batismo, é-nos dada a paternidade primordial e a verdadeira maternidade: não pode ter Deus como Pai quem não tem a Igreja como mãe (cf. São Cipriano, A unidade da Igreja, 4).

Assim, a nossa missão radica-se na paternidade de Deus e na maternidade da Igreja, porque é inerente ao Batismo o envio expresso por Jesus no mandato pascal: como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós, cheios de Espírito Santo para a reconciliação do mundo (cf. Jo 20, 19-23; Mt 28, 16-20). Este envio incumbe ao cristão, para que a ninguém falte o anúncio da sua vocação a filho adotivo, a certeza da sua dignidade pessoal e do valor intrínseco de cada vida humana desde a conceção até à sua morte natural. O secularismo difuso, quando se torna rejeição positiva e cultural da paternidade ativa de Deus na nossa história, impede toda e qualquer fraternidade universal autêntica, que se manifesta no respeito mútuo pela vida de cada um. Sem o Deus de Jesus Cristo, toda a diferença fica reduzida a ameaça infernal, tornando impossível qualquer aceitação fraterna e unidade fecunda do género humano.

O destino universal da salvação, oferecida por Deus em Jesus Cristo, levou Bento XV a exigir a superação de todo o fechamento nacionalista e etnocêntrico, de toda a mistura do anúncio do Evangelho com os interesses económicos e militares das potências coloniais. Na sua Carta apostólica Maximum illud, o Papa lembrava que a universalidade divina da missão da Igreja exige o abandono duma pertença exclusivista à própria pátria e à própria etnia. A abertura da cultura e da comunidade à novidade salvífica de Jesus Cristo requer a superação de toda a indevida introversão étnica e eclesial. Também hoje, a Igreja continua a necessitar de homens e mulheres que, em virtude do seu Batismo, respondam generosamente à chamada para sair da sua própria casa, da sua família, da sua pátria, da sua própria língua, da sua Igreja local. São enviados aos gentios, ao mundo ainda não transfigurado pelos sacramentos de Jesus Cristo e da sua Igreja santa. Anunciando a Palavra de Deus, testemunhando o Evangelho e celebrando a vida do Espírito, chamam à conversão, batizam e oferecem a salvação cristã no respeito pela liberdade pessoal de cada um, em diálogo com as culturas e as religiões dos povos a quem são enviados. Assim a missio ad gentes, sempre necessária na Igreja, contribui de maneira fundamental para o processo permanente de conversão de todos os cristãos. A fé na Páscoa de Jesus, o envio eclesial batismal, a saída geográfica e cultural de si mesmo e da sua própria casa, a necessidade de salvação do pecado e a libertação do mal pessoal e social exigem a missão até aos últimos confins da terra.

A coincidência providencial do Mês Missionário Extraordinário com a celebração do Sínodo Especial sobre as Igrejas na Amazónia leva-me a assinalar como a missão, que nos foi confiada por Jesus com o dom do seu Espírito, ainda seja atual e necessária também para aquelas terras e seus habitantes. Um renovado Pentecostes abra de par em par as portas da Igreja, a fim de que nenhuma cultura permaneça fechada em si mesma e nenhum povo fique isolado, mas se abra à comunhão universal da fé. Que ninguém fique fechado em si mesmo, na autorreferencialidade da sua própria pertença étnica e religiosa. A Páscoa de Jesus rompe os limites estreitos de mundos, religiões e culturas, chamando-os a crescer no respeito pela dignidade do homem e da mulher, rumo a uma conversão cada vez mais plena à Verdade do Senhor Ressuscitado, que dá a verdadeira vida a todos.

A este respeito, recordo as palavras do Papa Bento XVI no início do nosso encontro de Bispos Latino-Americanos na Aparecida, Brasil, em 2007, palavras que desejo transcrever aqui e subscrevê-las: «O que significou a aceitação da fé cristã para os povos da América Latina e do Caribe? Para eles, significou conhecer e acolher Cristo, o Deus desconhecido que os seus antepassados, sem o saber, buscavam nas suas ricas tradições religiosas. Cristo era o Salvador que esperavam silenciosamente. Significou também ter recebido, com as águas do Batismo, a vida divina que fez deles filhos de Deus por adoção; ter recebido, outrossim, o Espírito Santo que veio fecundar as suas culturas, purificando-as e desenvolvendo os numerosos germes e sementes que o Verbo encarnado tinha lançado nelas, orientando-as assim pelos caminhos do Evangelho. (…) O Verbo de Deus, fazendo-Se carne em Jesus Cristo, fez-Se também história e cultura. A utopia de voltar a dar vida às religiões pré-colombianas, separando-as de Cristo e da Igreja universal, não seria um progresso, mas uma regressão. Na realidade, seria uma involução para um momento histórico ancorado no passado» [Discurso na Sessão Inaugural (13 de maio de 2007), 1: Insegnamenti III/1 (2007), 855-856].

A Maria, nossa Mãe, confiamos a missão da Igreja. Unida ao seu Filho, desde a encarnação, a Virgem colocou-se em movimento, deixando-se envolver-se totalmente pela missão de Jesus; missão que, ao pé da cruz, havia de se tornar também a sua missão: colaborar como Mãe da Igreja para gerar, no Espírito e na fé, novos filhos e filhas de Deus.

Gostaria de concluir com uma breve palavra sobre as Pontifícias Obras Missionárias, que a Carta apostólica Maximum illud já apresentava como instrumentos missionários. De facto, como uma rede global que apoia o Papa no seu compromisso missionário, prestam o seu serviço à universalidade eclesial mediante a oração, alma da missão, e a caridade dos cristãos espalhados pelo mundo inteiro. A oferta deles ajuda o Papa na evangelização das Igrejas particulares (Obra da Propagação da Fé), na formação do clero local (Obra de São Pedro Apóstolo), na educação duma consciência missionária das crianças de todo o mundo (Obra da Santa Infância) e na formação missionária da fé dos cristãos (Pontifícia União Missionária). Ao renovar o meu apoio a estas Obras, espero que o Mês Missionário Extraordinário de outubro de 2019 contribua para a renovação do seu serviço missionário ao meu ministério.

Aos missionários e às missionárias e a todos aqueles que de algum modo participam, em virtude do seu Batismo, na missão da Igreja, de coração envio a minha bênção.

Vaticano, 9 de junho – Solenidade de Pentecostes – de 2019.

FRANCISCO


© Copyright – Libreria Editrice Vaticana

Dizimistas aniversariantes – outubro/2019

“Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama a quem dá com alegria.”
(2Cor 9,7)

01.10 FRANCISCA SIMÕES NASCIMENTO
01.10 SANDRA MARIA RAMOS
01.10 MARIA NAIR TRAJANO
01.10 SEVERINA ALVES DE MOURA
02.10 LUCILENE DA SILVA VITORINO
02.10 ADRIANA MARIA P. DOS SANTOS
02.10 ANTÔNIO FERINO FILHO
02.10 MARIA AURINETE ALVES
02.10 ANA ZILMA DE ALMEIDA RIBEIRO
03.10 LUIZ GONZAGA DE ASSIS
03.10 FRANCISCA TEREZA DA SILVA
03.10 FRANCISCA DULCE DA SILVA
03.10 MARIA DAS DORES DA CRUZ
03.10 MARIA JAIRA DE O. SILVA
03.10 JOSEFA GERMANO DA CRUZ
04.10 FRANCISCA DE ASSIS A. GOMES
04.10 FRANCISCA MARIA DA SILVA
04.10 MARIA DE FÁTIMA  NASCIMENTO
04.10 FCA. DAS CHAGAS S. ALVES
04.10 FRANCISCA DE ASSIS DA SILVA
04.10 MARIA IZABEL RODRIGUES DOS SANTOS LIMA
04.10 FRANCISCO IZAAC DA SILVA FERREIRA
05.10 FRANCISCO CANINDÉ GOMES
05.10 REJANY PEREIRA DA S. JERONIMO
05.10 MALFRIZA PEREIRA DE M. E SILVA
05.10 JOSÉ FRANCISCO DA SILVA
05.10 JOACY INÁCIO DA C. CAMPELO
06.10 ARISTON ACIOLE DA SILVA
06.10 FRANCISCA VERÔNICA PEREIRA
06.10 MARIA DO CÉU CRUZ
06.10 MARIA ANA DE ARAÚJO
07.10 RITA DANIEL PEREIRA DE OLIVEIRA
07.10 RAIMUNDA LÚCIA E. DA SILVA
07.10 JEFERSON JUCYER DE S. ARAÚJO
07.10 SEVERINO ANTÔNIO SINÉSIO
07.10 ANA D’ARC DA COSTA FÉLIX
07.10 ELIONAI APARECIDA D. DA SILVA
08.10 DAMIANA MARIA DA SILVA
08.10 MARIA DE LOURDES FERNANDES
08.10 ENEIDE PELÓGIO DE MEDEIROS
08.10 FRANCISCA A. C. DE MEDEIROS
08.10 JOSEFA DALVANIR FELIPE
08.10 JOSEFA GOMES DE OLIVEIRA
08.10 FRANCISCO ALDERI L. DE LIMA
09.10 MARIA DA GUIA DOS SANTOS NASCIMENTO
09.10 MARIA APARECIDA GOMES DE OLIVEIRA
09.10 MARIA FRANCISCA GONÇALVES
09.10 JOSÉ LISBOA ANACLETO
09.10 FRANCISCA ALICE A. ASSUNÇÃO
09.10 RITA DE CÁSSIA B. C. SANTIAGO
10.10 ANA MARIA SANTOS
10.10 JOSEFA RODRIGUES  A. MACEDO
10.10 ZÉLIA MARIA DE OLIVEIRA LIMA
11.10 RAIMUNDA CRISTIANE SOARES
12.10 MARIA ALDENORA S. FERNANDES
12.10 ALAYSE APARECIDA DE MELO SILVA
12.10 RITA DE CÁSSIA DOS S. DAMÁZIO
12.10 JOSEFA FERREIRA DE ARAÚJO
12.10 MARIA EUSA CARLOS
12.10 CICERO AMARO DA SILVA
12.10 FCO. SALES DE MEDEIROS SILVA
12.10 MARIA NÚBIA SOUSA DE BRITO BATISTA
12.10 ALDILÂNDIA APARECIDA BEZERRA
12.10 ELISANDRA DE ARAÚJO MACÊDO
13.10 JOSÉ PEDRO DOS SANTOS
13.10 FELIPE LUIZ DOS SANTOS
13.10 JOSÉ REGINALDO DA SILVA
13.10 IRACEMA CABRAL DE MEDEIROS
13.10 FRANCISCA MARCIANA S. SOUZA
13.10 ANA LÚCIA ASSUNÇÃO
13.10 BÁRBARA JUSSARA G. DE SOUZA
13.10 JOSEFA GOMES DA SILVA
13.10 JOSÉ CARLOS DA S .FERNANDES
14.10 MARIA APARECIDA DA SILVA
14.10 MANOEL JAIRO
14.10 MARIA DO SOCORRO
15.10 RAIMUNDO DE ASSIS F. DA SILVA
15.10 TEREZINHA DE JESUS APRÍGIO
15.10 FRANKLIN PEREIRA DA COSTA
15.10 MARIA DE LOURDES DE MEDEIROS
15.10 SEVERINA LOPES SOBRINHA
15.10 MARIA MEDEIROS GOMES
15.10 VITÓRIA ALBERANEIDE B. CÂNDIDO
15.10 MARIA GOMES DANTAS
15.10 TEREZINHA PEREIRA DA SILVA
16.10 MAGNO ANTÔNIO PEREIRA
16.10 ARLEIDE BEZERRA DE M. MENDES
16.10 FCO.  ALEXANDRE M. DE M. COSTA
16.10 MARIA NILBA DE ARAÚJO SILVA
16.10 RAIMUNDA BEZERRA DE M. SILVA
16.10 REGINA MARIA DO N. DAVI
16.10 FABIANA FERREIRA S. DA SILVA
16.10 JOSEFA PATRÍCIA DE MACÊDO
17.10 MARCOS VINICIUS F. DA SILVA
17.10 MARIA DE LOURDES DA COSTA
17.10 MARIA EDVIRGENS C. GALVÃO
17.10 CÍCERA CÂNDIDA DE OLIVEIRA
17.10 CAMILA VITÓRIA A. DE MEDEIROS
18.10 JOANA MARIA DA CONCEIÇÃO
18.10 MARIA SOARES DE ARAÚJO PAZ
18.10 IOLANDA FÉLIX JALES
18.10 JOSÉ ADRIANO DANIEL PEREIRA
18.10 MARIA ALVES FEITOSA
18.10 JOSÉ JOAQUIM DE MEDEIROS
18.10 MARIA DAS VITÓRIAS
18.10 ADEJANILDA PINHEIRO DE MEDEIROS
19.10 ANA PAULA DA SILVA RODRIGUES
19.10 MARIA DO SOCORRO A.  SOUZA
19.10 FRANCISCO RODRIGUES DA SILVA
19.10 MANOEL ROSÁRIO F. SOBRINHO
19.10 FRANCISCA MARLI  F. FERREIRA
19.10 BARTOLOMEU TIAGO
20.10 FRANCISCO DAS CHAGAS CÂNDIDO
20.10 JOSEFA GABRIELA DE A.MIGUEL
20.10 MONALIZA PRICILHA  M. S. SOUZA
20.10 MARIA LUZIA DE MELO
20.10 WILMA ALVES DA SILVA
20.10 REJANE  XAVIER DA SILVA
20.10 MARIA NAZARÉ DA SILVA
20.10 MONALISA PRISCILHA DE MATOS SILVA SOUZA
20.10 MARIA GORETE DA CRUZ NASCIMENTO
21.10 MARIA VIVIANE MACAU DA SILVA
21.10 MANOEL TRAJANO NETO
21.10 JOSIANA MACÊDO LIRA MEDEIROS
21.10 ÉRIKA MARCELA DE F. M. SILVA
22.10 MARIA GILDETE ACIOLE BATISTA
22.10 JOÃO RODRIGUES DA S. FILHO
22.10 HOZANA LAIZE MATIAS
22.10 MARIA JOSÉ DA COSTA
23.10 ANA MARIA DE M. SOUTO
23.10 FRANCISCA MARIA DA S. ARAÚJO
23.10 FRANCISCO DE ASSIS PEQUENO
23.10 MARIA DE FÁTIMA A. JERÔNIMO
24.10 MARIA LUZIENE DE ALMEIDA
24.10 CLEITON WALLACE DA SILVA SANTOS
25.10 JOSÉ RIBAMAR DE MEDEIROS
25.10 MARIA DAS VITÓRIAS LUCAS FIRMINO
25.10 MARIA DE FÁTIMA DA SILVA
25.10 RAIMUNDA NUNES DA SILVA
25.10 TONY EDSON VICTOR DA SILVA
25.10 PAULO HERÔNCIO DA SILVA
26.10 EDIVAL COUTINHO DE LIMA
26.10 JANE TELMA DE MEDEIROS
26.10 JOSEFA LOPES ALVES
26.10 MARIA DA PAZ G. DOS SANTOS
26.10 JOSÉ FERREIRA DO NASCIMENTO NETO
27.10 JOSÉ CÂNDIDO DE MACÊDO
27.10 JOSEFA LOPES DE MACEDO
27.10 JOSEFA RAIMUNDA M. DA SILVA
27.10 RAIMUNDO MACIEL DA S. PINTO
28.10 ROSÁLIA CARLOS P. S. ARAÚJO
28.10 MARIA DAS VITÓRIAS MEDEIROS
28.10 MARIA DA GUIA DOS SANTOS
28.10 MARTA MARIA DA S. ALMEIDA
28.10 MARIA NEUZA S. DA  NÓBREGA
28.10 SEVERINO PAULO RAMOS
29.10 VITÓRIA BEZERRA
29.10 JERRI ADRIANI DE MELO
29.10 ZULEIDE MARIA DA S. CARVALHO
29.10 MARIA XAVIER SILVÉRIO
29.10 MARIA CAROLINA DA S. FERNANDES
30.10 LARISSA MATILDE DA SILVA
30.10 MARIA FRANCISCA DA SILVA
30.10 JOANA VICIANA DE MELO
30.10 JOSÉ JÚNIOR DA SILVA
31.10 ROSA QUINTINO DE SOUTO
31.10 HOMERO SILVA